top of page

Como aprendemos?

Atualizado: 9 de fev. de 2021

Quero falar um pouco sobre a nossa memória de aprendizagem. Como nós sabemos o que sabemos e como chegamos até aqui?




Bem, quem tem filho ou já teve uma criança de 1 à 2 anos em casa vai entender direitinho sobre o que eu vou falar. Já aqueles que não o tem ou tiveram, tentem lembrar dessa situação em algum momento da sua vida...


“Você é um repetidor nato.”

Desde os primeiros meses de nossas vidas, repetimos o mundo a nossa volta. Como assim? Lembra quando seu filho finalmente descobriu o interruptor e passou a ligar e desligar a luz da sua casa, incessantemente? Na mesma hora a sua reação provavelmente foi de mandar ele para, caso o contrario ele iria queimar a luz e vocês ficariam no escuro. Agora, por um acaso você já parou para se perguntar o porquê dele fazer tantas vezes as mesmas coisa ou, conforme foram crescendo, "repetir os mesmos erros?". Pois bem... isso acontece, pois nós só aprendemos repetindo.

Pode parecer clichê (e é mesmo), mas a gente aprende errando, isso porquê só aprendemos o que dá errado quando tentamos fazer e ainda somos capazes de repetir mais algumas vezes só pra garantir que tá errado mesmo (rsrs). Nós, Seres Humanos, aprendemos com base na experimentação, ou como Piaget gosta de afirmar: o crescimento cognitivo da criança se dá pela assimilação e pela acomodação. O indivíduo constrói esquemas de assimilação mentais para abordar a realidade.


O que seria assimilar e acomodar?

Vamos voltar para a ideia da lâmpada: ao ascender a luz a criança descobre que sua ação fez alguma reação (ascendeu/apagou uma luz), a partir disso ela passa a tentar refazer todos os seus movimentos até que algo aconteça outra vez. Assim que ela aprende que colocar a mão no interruptor é a ação que leva a reação desejada (e olha que ela vai ter errado umas boa vezes) seu desejo vai ser continuar "criando" luz.

Agora, não é que seu filho queira fazer da sua sala uma boate, para essa repetição que vai queimar sua lâmpada acontecer temos dois motivos: 1° ela criou algo (a luz) a partir da sua própria ação, 2° é preciso assimilar esse conhecimento, tornar ele parte do seu repertório de conhecimento. Essa é a etapa chamada de assimilação, uma ação externa que consiste em utilizar os "esquemas de ação" (formas como interagimos com o mundo, como classificar, ordenar, relacionar etc.) para adquirir o conhecimento.

Agora a acomodação seria um processo interno no qual o conhecimento é construído com base nas experiências pré-existentes, ampliando-as. Para ficar mais claro vamos seguir no raciocínio da nossa lâmpada: assim que a criança compreendeu que aquele interruptor é a chave para a criação, ela logo olha para os outros botões e pensa "será que eles fazem a mesma coisa?" passando, assim, a apagar todas as luzes da casa para confirmar sua teoria, ou seja, agora ela ampliou seu conhecimento de que o interruptor é a chave para todas as luzes.


Será que você entendeu? Tente responder...

A nossa criança aprendeu que o interruptor é a chave para a luz. Porém, agora ela apertou um interruptor que não ascendeu/apagou nenhuma luz, mas sim abriu um portão... e agora, ela errou ou ela adquiriu mais um conhecimento?


E ai, aprendeu? Então, não esqueça de deixar sua opinião a caixa de comentários 💬 e dar um like ❤️ se você gostou do conteúdo!

Até a próxima!

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page